Todo dia ele faz tudo sempre igual

Crônicas dos Abantesmas Ordinários


Abro os olhos, já está um calor do cão, olho o relógio, 6 horas da manhã. Acordei com vento quente na cara, entra rasgando, até arde o pumão. Isso não é uma casa, é um forno dos inferno.

Cacete, vida de merda, acordar essa porra logo, não aguento mais essa vida de merda.

Tenho que acordar pras leva esses cabrunco de criança pra escola, desde que minha mulé morreu. Essa é a minha rotina dos inferno, colocá as criança pra escola, trabalhá e corrê atrás de um bico.

Tenho até um trabalho de faxina na prefeitura. Mas cadê que paga?

4 meses já sem recebê nem um centavo. Só vale transporte, e se não for dá probrema. Pagá o soldo que é bom nada, filhos de umas égua…

Ainda bem que as criança vão comê na escola, não tem nem o que fazê pra eles comê aqui. Não venho conseguindo comprá nem pão, a firma disse que vai pagá esse mês, todo mêz diz isso. Acordá cedo pra ir pro trabalho e não recebê é foda, no final do mês, dá um ódio…

E se entra na justiça, a firma demite e não recebo nada, isso se não ficá queimado. Se saio também não recebo, se falto não recebo, eta merda…

Vamô vê esse mês, vamô vê, falaram que iam pagá. Vamô vê. Vamo vê…

Como tem esse soldo, não tem direito bolsa família, essa merda, 180 reais pelo menos ajudava, Marineide filha de Seu Tião padeiro, faz pão da na padaria do Jorginho da padaria, tem 3 bolsa família. Aquelas criança encapetada pelo meno serve pra alguma coisa.

Esse mês peguei um dinheiro com Jorginho da padaria. Fiquei de pagar quando recebê. Tenho que pagá Jorginho da Padaria.

Jorginho gente boa, me ajuda sempre, com nome sujo não consigo pegá nem empréstimo. Negociei com Jorginho que me dá uma folga no pão que pego fiado, consigo pagá o que dá quando recebo, e vou adiando, Jorginho gente boa, só cobra 10% de juros, se é outro já tinha me mandado pra pedra.

Só que agora, até ele disse que não dá para esperá mais outro mês. Talvez tenha que arrumá um bico, vê se tem alguma obra aí na rua precisando de ajudante, foda que só dá a noite, e as crianças em casa a noite sozinhas é foda.

Tenho que levantá, ficá pensando não paga as conta. Essa merda de país só serve pra bandido. Ficá pensando não resolve nada. Culpa minha mermo, casá e arrumá filho cedo, tinha que ter estudado, ou entrado no tráfico, 500 conto por semana, trabalhá pra que né? Morrê é melhó que essa merda. Vida de merda, Maria, saudade da minha mulé.

Maria, morreu na terceira gravidez, ela não tomava remédio, a igreja dela não permitia, e estava esperando a fila do SIS REG pra operá, desde o nascimento do mais novo ela queria, só que não conseguiu, os médico disseram que foi um tal de esclampsia, escampisia… Sei lá que é essa merda, sei que ela entrou um dia no hospital e no outro dia morreu, 6 meses de grávida, a médica falou que tinha um tal de pré natal que ela não tava fazendo. Tava sem médico e enfermeiro no posto, também cheio de tiroteio e sem receber, não vai tê gente prá trabalhá lá mermo, lugar de merda, médicos de merda, tiroteio sempre vai tê, então nunca vai tê médico lá?

Maria, saudade dela, acordava já tinha café na mesa, tomava conta das criança. Saia da labuta, e parava tranquilo pra tomá umas cracudinha no bar do seu Vicente com a galera do futebol.

Chegava em casa com janta pronta. Isso que era vida. Salário todo mês na conta, crédito no banco, pagava os empréstimos em dia, tinha 3, cheque especial dava para usar mil reais. Tempo bão. Lembro até que deu para comprar essa TV de 29 polegadas de tela plana, última geração, agora essa merda de TV só me dá dor de cabeça.

Já é 7 hora, as criança não levantaram, e eu aqui nesse inferno sem pará de pensá. Também ficaram acordado, vendo essa merda de TV até tarde, e ainda brigando os dois, cada um qué vê uma coisa. Não adianta falá 20 vez que não obedece, só obedece o chinelo, comigo não tem essa não, chinelo canta se não obedecê, e se respondê também, fui criado assim e tô aqui num tô?

João tem 5 anos, Janiceia tem 8, já avisei a ela para cuidar do irmão, e aprendê arrumá a casa, lavá as louça, e avisei que não é pros dois ficá o dia todo na frente da TV. Mas também ficá na rua da comunidade tá perigoso pra caralho, esses dias filho de Maria da rua da boca tomou um tiro de bala perdida no ovo, parece até que perdeu os culhão, pelo menos num morreu.

Já avisei. Já avisei. Não é pra ficá na rua a toa, essas criança, puta que pariu… que saudade de Maria.

Cacete! 7 e meia!

-Janiceiaaa! Acorda porra! Arruma seu irmão, e deixa ele na creche. Depois vai direto pra escola, depois casa, não tem pão hoje não, vai comê na escola desgraça.

-Tá bom.

-Janiceia, se você não levantar agora, vou tacá em você o chinelo garota, meu pai não falava comigo duas vezes não, todo dia essa mesma merda, não aguento isso não, será que vai tê que sê a base do cinto?

-Já to indo.

-Janiceia, janiceia… Já falei pra não me responder!

-Não to respondendo, João não qué acordá, vou fazê o quê?

-Vai fazê o quê? Vai fazê o quê? Eu que vou fazê, vou fazê, estou te avisando Janiceia, to avisando, vou pegá o cinto, e vocês vão vê, aí vocês vão sabê rapidinho o quê é pra fazê.

Janiceia e João saíram finalmente, quase perdi as estribeira hoje, todo dia merma coisa, ta doido, não aguento isso não.

Maria resolvia isso tudo e nem via. Ah… que saudade desse tempo, que raiva, puta que pariu…

Olha, já é 8 hora da manhã, entro às 9 , vou vê se não pulo o muro da estação, 40 anos na cara e pulando muro, merda de país, de governo, é tudo farinha do mesmo saco, essa merda. Não aguento mais, tinha que tê saído logo dessa merda de emprego.

Voltando ontem deu para pegar duas garrafas de vinho nos despacho na rua, minhas melhô companhia de hoje em dia. Uma garrafa de um vinho do bão já foi ontem mesmo, e já vou mandar umas golada prá começá o dia.

Sobrou essa branquinha aqui também, encontrei antes de onte no despacho na esquina do Bar do Tião, delícia, com um café ainda, nossa, deu até um ânimo agora, já vou vê com Jorginho da Padaria se não rola pelo menos um cafezinho fiado, tenho que aproveitar para falá com ele que esse mês recebo, senão o movimento me enquadra também.

Mais um dia, e mais um gole pra seguir em frente, vou lá, e na volta vejo se não encontro mais umas garrafa, será que encontro outro vinho do bão?


Texto autoral – Todos os direitos reservados. Creative Commons: CC BY – Podendo ser compartilhado com referência ao autor.

Serie: Crônicas dos Abantesmas Ordinários

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.