Todo dia ele faz tudo sempre igual

Crônicas dos Abantesmas Ordinários Abro os olhos, já está um calor do cão, olho o relógio, 6 horas da manhã. Acordei com vento quente na cara, entra rasgando, até arde o pumão. Isso não é uma casa, é um forno dos inferno. Cacete, vida de merda, acordar essa porra logo, não aguento mais essa vida de merda. Tenho que acordar pras leva esses cabrunco de criança pra escola, desde que minha mulé morreu. Essa é a minha rotina dos inferno, colocá as criança pra escola, trabalhá e corrê atrás de um bico. Tenho até um trabalho de faxina na prefeitura….