Os germens do pensamento moderno

A Grécia Antiga pertenceu ao período histórico, aproximadamente entre os séculos VI e IV a. C., reconhecido como: Período Clássico ou Era Clássica.

Grécia – Atenas
Fonte: Pixabay

Bertrand Russell (1872 – 1970) no livro História da Filosofia Ocidental(Amazon), publicado na língua original inglesa em 1946, traduzido para a língua portuguesa brasileira por Hugo Langone, em 2015, faz um interessante percurso nas influências que moldaram a cultura helênica da Grécia Antiga.

Para os historiadores e arqueologistas é um desafio estudar a Antiguidade, são milhares de anos atrás, muito se perdeu ao longo do tempo. Mas com esforço desses estudiosos, e dos que seguiram esse ofício ao longo da história, nos chegaram evidências das quais até hoje tentamos extrair o máximo possível.

Porém o que faz com que nossa cultura ocidental, com muitas influências das culturas europeias, torne a retornar, de alguma forma, à cultura helênica? O que a Grécia Antiga tinha de tão especial?

“Os gregos inventaram a matemática, a ciência e a filosofia” Bertrand Russell 

São adventos fascinantes para nossa espécie, que só vislumbramos alguns fragmentos nesse texto. Estamos discutindo de mais de 2500 anos atrás, lampejos do ser que abriram as portas que nos trazem à civilização atual. 

Em termos gerais, o que nessa época fez com que o animal humano ter podido expressar tamanha criatividade?

Diversidade Cultural

B. Russell articulou seu argumento no poder das diferentes culturas que convergiram na cultura helênica, como a cultura babilônica, egípcia e minóica. Nesse contexto levamos em conta os totens vigentes e as consequentes influências que moldaram subjetividade da cultura helênica, ao nível do tecido social. Teologias heterogêneas(religiões primitivas), plenas de significados e diferentes padrões de valores de acordo com as crenças. 

O advento da democracia

Na Grécia Antiga organização social se dava por diversas cidade-comunidades(cidade-estado), às pólis. Centenas de cidades independentes, sustentada por alianças políticas e comerciais. Entre regimes oligárquicos tirânicos, prevaleceu o surgimento da democracia como organização social.

A arte da escrita e leitura

Junto convergência de culturas, o poder da escrita (absorvidas da cultura egípcia e suméria) também teve muito impacto no imaginário grego. Os gregos foram os primeiros a escrever narrativas literárias, utilizando o pensamento figurado,  sendo Homero (Amazon) um grande marco dessa época.

Liberdade do pensamento

Alguns desses pontos levantados aqui, e a necessidade de organizar uma civilização em crescimento junto a suas consequências sociais, de certo modo, permitiu àquele povo, onde não havia um padrão homogeneizante da regulação da existência social, a possibilidade de refletir e criar livremente. 

Imagem Ilustrativa – Fonte: Pixabay

A Grécia Antiga culminou em um cenário propício, sendo o marco de um novo sentido para humanidade. O  animal humano aprendeu a amar o saber,  a refletir seu ser no mundo  – racionalmente –  e sistematizar em retórica e escritos, transmitindo como forma de ensino aos mais jovens. Passamos a pensar e escrever sobre a natureza, o universo, e o próprio existir humano.

Os germens do pensamento filosófico e científico foram plantados na aurora da cultura helênica. 


Texto autoral – Todos os direitos reservados. Creative Commons: CC BY – Podendo ser compartilhado com referência ao autor.

Crônicas do Desconhecimento:

Texto 1 – Lampejos do Ser

Texto 2 – Os germens do pensamento moderno

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.